ANUNCIE AQUI
INSTITUCIONAL
Home
Ellianna Teixeira
Expediente
Eventos
Galeria de Fotos
Vídeos
Fale Conosco
 
EDIÇÕES DO JORNAL
Edições Anteriores
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Flash da Cidade
Internacionais
Nacionais
Regionais
  - Brazópolis
  - Itajubá
  - Maria da Fé
  - Pouso Alegre
  - Santa Rita do Sapucaí
 
CLASSIFICADOS
Bares
Contabilidade
Cursos
Diversos
Empresas
Farmácia
Flores
Fotografia
Frios
Hotéis
Imobiliárias
Informática
Lan House
Locação
Locadoras
Lojas
Presentes
Restaurantes
Serviços
Supermercados
Veículos
Veterinário
 
REDES SOCIAIS
   
DIVINO PAI ETERNO
MÃOS ENSANGUENTADAS DE JESUS
PRECISA-SE DE VENDEDOR


O Jornal Informe e Ação está contratando vendedores para trabalhar na região do Sul de Minas.


Quer saber mais?
Entre em contato
(35) 99956-1464
(35) 98818-3391

ABRA SEU PRÓPRIO NEGÓCIO

Entre no site www.jornalitajuba.com.br

Quer saber mais?
Entre em contato
(35) 99956-1464
(35) 98818-3391

SUL DE MINAS
Itajubá
Marmelópolis
Cristina
Piranguinho
Delfim Moreira
Brazópolis
Paraisópolis
São Lourenço
Pedralva
São José do Alegre
Santa Rita do Sapucaí
Pouso Alegre
Maria da Fé
Piranguçú
Wenceslau Bráz
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Educação
Diversos
Cultura
Novidades
Política
 
É "absurdo" achar que não existe racismo, diz goleiro Aranha sobre redação do Enem 05/12/2016
 
 
 
É "absurdo" achar que não existe racismo, diz goleiro Aranha sobre redação do Enem
Vítima de ofensas racistas por parte de torcedores do Grêmio durante jogo em 2014, goleiro falou ao G1 sobre a prova; para ele, "por muito tempo as questões raciais ficaram obscuras".

A prova de redação da segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizada neste domingo (4), falou sobre "Caminhos para combater o racismo no Brasil" e recebeu elogios tanto de professores quanto de famosos e candidatos que fizeram o exame. Em entrevista ao G1, Mário Lúcio Duarte Costa, conhecido no mundo do futebol como Aranha, afirmou considerar importante que o assunto apareça na prova do MEC, porque, segundo ele, "a gente tem um hábito ruim de achar que as coisas que não são debatidas é porque foram resolvidas, ou porque não existe o problema".
ENEM 2016: COBERTURA COMPLETA
Aranha jogava no Santos em 2014 quando, durante uma partida contra o Grêmio, no Rio Grande do Sul, sofreu ofensas racistas proferidas por diversos torcedores gremistas. O goleiro reagiu ainda dentro do gramado e obrigou a sociedade – e os torcedores registrados em vídeo – a enfrentar e debater o problema.
"Você tocar nesse assunto era complicado. Você era visto como inimigo da nação, como uma pessoa que era frustrada, então, a gente não tinha o hábito de debater e falar sobre esse assunto, coisa que tem acontecido bastante agora", afirmou ele ao G1.

Hoje com 36 anos recém-completos e atuando pela Ponte Preta, clube em que foi revelado, Aranha afirma que, caso esse episódio tenha sido citado por candidatos do Enem na redação, provavelmente eles poderão pensar que foi uma situação isolada.

"Provavelmente dirão que sofri um caso de racismo, como se fosse a única vez, já que, na maioria das vezes, as pessoas já nem se dão conta, de tão acostumadas e coagidas a achar normal."

Qual é, na sua opinião, a importância de a redação do Enem abordar o combate ao racismo no Brasil?
Acho que é importante sim, porque aqui no Brasil a gente tem um hábito ruim de achar que as coisas que não são debatidas é porque foram resolvidas, ou porque não existe o problema. Por muito tempo essas questões raciais, essas questões de intolerância religiosa ficaram obscuras, ficaram apagadas porque as pessoas ficavam intimidadas de falar sobre esse assunto. Você tocar nesse assunto era complicado. Você era visto como inimigo da nação, como uma pessoa que era frustrada, então, a gente não tinha o hábito de debater e falar sobre esse assunto, coisa que tem acontecido bastante agora.
Professores lembraram que, para o aluno ter uma nota alta, ele precisa reconhecer a existência do racismo no Brasil, pois o tema é "caminhos para o combate ao racismo no Brasil". Isso faz diferença para você, em comparação com um tema que fosse apenas "racismo no Brasil"?
Faz muita diferença sim, porque sempre quando se falava em racismo aqui, se faz a comparação com os Estados Unidos. Então, por não ter talvez acontecido no Brasil de maneira legal através da lei algum tipo de segregação, ou de discriminação direta, a gente chegou ao absurdo ou à fantasia de achar que aqui não existe. Que aqui é um país que prega a igualdade, que é miscigenado, como todo mundo fala. Então o racismo acaba se escondendo nesses mínimos detalhes. Porque às vezes a lei é só questão de costume. É um costume que foi legalizado. Aqui no Brasil, só não foi legalizado, mas os tratamentos, as formas eram as mesmas.
O goleiro Aranha, que atualmente joga na Ponte Preta, comentou o tema da prova de redação da segunda aplicação do Enem de 2016.

Um dos textos que a prova trouxe como "motivador" das respostas falou sobre a diferença sobre racismo e injúria racial. Sei que o crime do qual você foi vítima no jogo do Grêmio incluiu esse debate. O que você tem a dizer sobre essa questão legal abordada na prova?
O racismo está dentro de cada um. Às vezes ele foi crescendo porque é passado de geração em geração, de pai para filho, e a pessoa viveu nesse contexto, ou tem isso dentro dela mesmo. Agora, a injúria racial é um crime que qualquer um pode cometer, não está limitado somente ao negro. Mas muitas vezes, muitos costumes que a gente tem ainda são resquícios, sobra da escravidão, porque tem pouco tempo que essa história teve fim no Brasil. É uma história recente ainda, tem bastante sequelas, com isso, muitas das coisas que as pessoas falam às vezes nem é a real intenção, mas é uma maneira de ferir, e isso é errado. Por isso é crime e por isso tem que ser evitado. Se eu cometer qualquer tipo de injúria contra outra pessoa, que não seja da minha cor, da minha religião ou da minha orientação sexual, eu estou errado também. Cada um, agindo dentro da lei, tem direito de fazer o que quer.
Se você estivesse fazendo a prova de redação do Enem, que proposta(s) de intervenção social você incluiria no seu texto?
Realmente seria uma pergunta muito difícil, até porque a maioria esmagadora dos negros não conhece a sua própria história. Acho que a maioria ainda acredita que a Princesa Isabel é a grande redentora dos escravos, dos negros, que um belo dia acordou e, por gostar de negros resolveu libertar todo mundo. E não é bem por aí. Então muitas histórias, muitas coisas que a gente sabe da nossa história, ou ela está distorcida ou é mentirosa. Então, se eu pudesse deixar alguma coisa, eu gostaria de deixar na prova esse princípio, que no colégio, lá na base, na formação da criança, ela aprendesse a história real. Essa seria a minha intervenção, que fosse contada a história real, exatamente como aconteceu. Não essa fantasia que a gente ouve. Ouvi desde criança, e faz muita diferença na formação da personalidade, da autoestima, até mesmo do caráter do negro em geral.
Se por acaso algum candidato do Enem tenha citado o seu caso como exemplo de como o racismo ainda persiste no Brasil, como você imagina que a história tenha sido relatada?
Provavelmente dirão que sofri um caso de racismo, como se fosse a única vez, já que, na maioria das vezes, as pessoas já nem se dão conta, de tão acostumadas e coagidas a achar normal.
 
Fonte: Redação
 
NOTÍCIAS ANTERIORES  
 
17/04/2017
Príncipe Harry revela que fez terapia para superar morte de sua mãe Ele contou ter passado 20 anos tentado evitar pensar na morte da princesa Diana. O irmão...
24/11/2016
Entre 1703 e 1705 o sertanista Miguel Garcia de Almeida Cunha, figura proeminente na história da ocupação do Sul de Minas, partiu de Taubaté em busca de our...
24/06/2015
Polícia Militar comemora 240 anos em Minas Gerais Os oficiais da 56º Batalhão de Polícia Militar - Unidade Itajubá comemoraram, com uma solenidade reali...
17/02/2014
A turismóloga Bruna Gomes Nehara é a nova responsável pela gestão do Circuito Turístico Caminhos do Sul de Minas (CTCSM). Ela foi aprovada através de proc...
06/02/2014
As cidades que retiram a água para seu abastecimento de grandes rios, como é o caso do Rio Sapucaí, não deverão ter problemas por causa do verão atípico ...
06/02/2014
O Instituto Nacional do Câncer (Inca) divulgou ontem (4) a previsão para o surgimento de novos casos da doença em 2014. Se não houver mudança de alguns há...
04/02/2014
Ao jogar o chapéu e sair de mansinho, deixando o time do Flamengo na mão sem justificativas plausíveis no ano passado, a torcida bem como parte da imprensa d...
04/02/2014
O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) prorrogou para 31 de dezembro o prazo para que aposentados e pensionistas renovem a senha nos bancos em que recebem...
04/01/2013
A Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro divulgou, no fim da noite desta quinta-feira (3), um boletim sobre os estragos das chuvas que caem sobre a Baixada Fl...
04/01/2013
A contratação do atacante Alexandre Pato pelo Corinthians, confirmada nesta quinta-feira (3) pelo time alvinegro, é a maior da história no futebol brasileir...
+ NOTÍCIAS
ENTRETENIMENTOS  
 
Facebook
 
Twitter
 
G1
 
Portal Terra
 
Inter Ney
 
Dicas L
 
Gmail
 
Yahoo
 
Hotmail
 
Charges
 
Humor Tadela
 
Caixa
 
Correios
 
Google
 
Humor Babaca
 
Blog do Madeira
 
Uol
 
Ponto Frio
 
Globo Esporte
 
Skype
 
Kboing
 
Baixa Ki
 
Ricardo Eletro
 
Mercado Livre
 
Net Shoes
 
Extra
 
Portal R7
 
Jogos Menina
 
Buraco
 
VTO
 
Savetone
 
Paraiso
 
DestinoShow
 
Big Farm
 
One Piece
 
Dafiti
 
Passagens
 
Jogos Barbie
 
Jogos Mário
 
337 Jogos
 
Banco Brasil
 
Jogos Zumbis
 
Empire
 
OGame
 
Desert
 
1 vs 100
 
Ikariam
 
WarGame
 
FOE
 
Youtube
 
waiBrasil Publicidade
 
Par Perfeito
 
Linkedin
 
Jia
 
Ponto Frio
 
Americanas
 
Lojas Edmil
 
Casas Bahia
 
Magazine Luiza
 
Mattos Calçados
 
Casa joka
 
A Mineira
 
Casa América
 
 
 
Publicidade
 
Nossos Contatos
(35) 99956-1464 - VIVO
(35) 98818-3391 - OI
redacao@jornalinformeeacao.com.br
jornalistaellianna@jornalinformeeacao.com.br
contato@jornalinformeeacao.com.br
eliana.teixeira@gmail.com
2018 ® Marca Registrada para Agência de Comunicação E. M. Teixeira Ltda. Todos os direitos reservados.