ANUNCIE AQUI
INSTITUCIONAL
Home
Ellianna Teixeira
Expediente
Eventos
Galeria de Fotos
Vídeos
Fale Conosco
 
EDIÇÕES DO JORNAL
Edições Anteriores
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Flash da Cidade
Internacionais
Nacionais
Regionais
  - Brazópolis
  - Itajubá
  - Maria da Fé
  - Pouso Alegre
  - Santa Rita do Sapucaí
 
CLASSIFICADOS
Bares
Contabilidade
Cursos
Diversos
Empresas
Farmácia
Flores
Fotografia
Frios
Hotéis
Imobiliárias
Informática
Lan House
Locação
Locadoras
Lojas
Presentes
Restaurantes
Serviços
Supermercados
Veículos
Veterinário
 
REDES SOCIAIS
   
DIVINO PAI ETERNO
MÃOS ENSANGUENTADAS DE JESUS
PRECISA-SE DE VENDEDOR


O Jornal Informe e Ação está contratando vendedores para trabalhar na região do Sul de Minas.


Quer saber mais?
Entre em contato
(35) 99956-1464
(35) 98818-3391

ABRA SEU PRÓPRIO NEGÓCIO

Entre no site www.jornalitajuba.com.br

Quer saber mais?
Entre em contato
(35) 99956-1464
(35) 98818-3391

SUL DE MINAS
Itajubá
Marmelópolis
Cristina
Piranguinho
Delfim Moreira
Brazópolis
Paraisópolis
São Lourenço
Pedralva
São José do Alegre
Santa Rita do Sapucaí
Pouso Alegre
Maria da Fé
Piranguçú
Wenceslau Bráz
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
Vacina AstraZeneca: veja qual remédio usar e qual evitar para alívio da febre e da dor após a 1ª dose 09/07/2021
 
 
 
Vacina AstraZeneca: veja qual remédio usar e qual evitar para alívio da febre e da dor após a 1ª dose
Especialistas ouvidos pelo G1 afirmam que antitérmicos e analgésicos são os recomendados. Anti-inflamatórios devem ser evitados, se possível, por terem foco em outras condições de saúde.

A vacina AstraZeneca contra a Covid-19 costuma apresentar, em parcela dos vacinados, efeitos colaterais já previstos em bula. Em caso de dor ou febre, surge a dúvida: qual remédio usar? O único citado diretamente pelo fabricante da vacina é o paracetamol, que é antitérmico e analgésico. Os anti-inflamatórios (aspirina, diclofenaco ou ibuprofeno) devem ser evitados, se possível (veja no gráfico abaixo os principais nomes comerciais).

Vacina AstraZeneca: quais os sintomas, as reações e os possíveis efeitos colaterais entre vacinados?
Estados encurtam o prazo entre a 1ª e a 2ª dose da AstraZeneca para aumentar a proteção contra a variante delta
De acordo com os estudos clínicos de fase 3, após a 1° dose as pessoas podem apresentar um ou mais dos seguintes efeitos adversos: sensibilidade no local da injeção, dor no local da injeção, dor de cabeça e fadiga, dor no corpo e mal-estar, febre e calafrios e dor nas articulações e náuseas.

A maioria das reações adversas observadas no estudo foi de intensidade leve a moderada e normalmente resolvida poucos dias após a vacinação.

“Toda e qualquer vacina pode dar efeitos adversos. Isso é muito comum, inclusive em crianças”, afirma Rodrigo Stabeli, pesquisador titular e diretor da Fiocruz de São Paulo.

Os efeitos colaterais normalmente aparecem em um período de até 2 dias após a vacinação, e costumam durar por, no máximo, 48 horas. Se novos sintomas aparecerem a partir do 4º dia depois da vacinação, a recomendação é procurar um médico.

Febre e dor após a 1° dose da vacina: qual remédio tomar?
De acordo com a bula da vacina, caso os efeitos colaterais envolvendo dor ou febre estejam incomodando, um médico "poderá indicar o uso de algum medicamento para alívio destes sintomas, como, por exemplo, medicamentos contendo paracetamol."

O paracetamol é vendido na sua forma genérica, com nome da substância, mas também está presente na composição de diversos medicamentos, entre eles o: Naldecon, Resfenol, Tylenol, Sonridor e Vick Pirena.

Embora a bula do medicamento indique o paracetamol, há outras substâncias que também são indicadas em caso de dor ou febre.

“A bula indica a substância usada nos ensaios de fase 3, que foi o paracetamol, mas qualquer antitérmico ou analgésico pode ser usado, sendo os mais comuns o próprio paracetamol ou a dipirona”, explica Stabeli, pesquisador titular e diretor da Fiocruz de São Paulo.
Stabeli recomenda que caso a pessoa tenha algum efeito adverso mais grave ou severo, ela procure um posto de vacinação para ser orientada quanto a medicação que deve ser tomada.

Anti-inflamatórios não podem ser usados?
Não é bem assim. Segundos os especialistas ouvidos pelo G1, os anti-inflamatórios não são recomendados para o tratamento de dor e febre porque possuem outra finalidade. Contudo, isso não significa que, caso uma pessoa necessite tratar um processo inflamatório, ela não deva utilizar o medicamento após ser vacinada.

“Estamos criando elefante branco atrás de elefante branco. Não existe isso de NÃO pode tomar um medicamento, se necessário. Pacientes que têm artrose, por exemplo, e que fazem uso de anti-inflamatórios deveriam deixar de tomar o medicamento ou não se vacinar? Isso não existe", afirma Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Evitar o uso indiscriminado
O problema, segundo Ballalai, é o uso indiscriminado de medicamentos sem que haja a sua devida recomendação.

“Agora, em caso de febre as pessoas deveriam tomar um antitérmico, que é o medicamento indicado. Por que elas tomam anti-inflamatório? As pessoas nem sabem o que estão tomando”, afirma Ballai.
Renato Kfouri, infectologista e presidente do Departamento Científico de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), concorda que não há restrição quanto ao uso de um medicamento, caso ele seja o indicado .

“O que você usa para controlar efeitos adversos de qualquer vacina, inclusive em crianças, são analgésicos e antitérmicos. Não há nenhuma restrição quanto ao uso de anti-inflamatório, ele só não é um medicamento indicado para sintomas como dor, febre, dor de cabeça”, explica Kfouri.
Sem risco ao efeito da vacina
Uma das preocupações das pessoas vacinadas quanto ao uso de anti-inflamatórios está relacionada à capacidade do medicamento inibir a ação protetora da vacina. Segundo Stabeli, essa hipótese não condiz com a realidade.

Stabeli explica que embora as vacinas desenvolvam um processo inflamatório no corpo para estimular a proteção do sistema imune, o uso controlado e recomendado de anti-inflamatórios não colocam em risco à ação do imunizante.

“A vacina não vai sumir do seu corpo amanhã. Não é um dia que você tomou um anti-inflamatório que vai tirar a e eficiência da vacina”, afirma.
Além disso, Stabeli ressalva que o uso de anti-inflamatórios sem a recomendação e acompanhamento médico pode trazer efeitos indesejados.

"A gente não recomenda tomar anti-inflamatório sem recomendação médica por conta dos próprios efeitos do medicamento. O uso desse medicamento a longo prazo pode desenvolver problemas no fígado, problemas nos rins, no coração", diz Stabeli.
 
Fonte: Redação / G1
 
NOTÍCIAS ANTERIORES  
 
09/07/2021
Atuar para impedir eleição configura crime de responsabilidade, diz Barroso Presidente do TSE divulgou nota após Bolsonaro ter dito que país pode não ter ...
09/07/2021
A atriz Claudia Rodrigues, de 51 anos, foi internada nesta sexta-feira (9) no Hospital Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, após um mal-estar. Segundo n...
09/07/2021
Mulher que se apresentava como blogueira nas redes sociais era integrante de quadrilha de estelionatárias no Rio, diz polícia Anna Carolina de Sousa Santos t...
09/07/2021
Brasil registra 531 mil mortos por Covid; em queda há 13 dias, média móvel é de 1.387 vítimas diárias País contabiliza 531.777 óbitos e 19.019.974 caso...
09/07/2021
Destempero verbal de Bolsonaro quer desviar foco da CPI Têm se tornado mais frequentes as agressões verbais do presidente Jair Bolsonaro a autoridades ou r...
22/06/2021
Vacinação COVID-19 / Prefeitura de Pouso Alegre. Agendamento para Profissionais de Transporte Coletivo Rodoviário de passageiros urbano e longo curso. Para v...
22/06/2021
MEDIDA DE PRECAUÇÃO 3 escolas municipais suspendem aulas após funcionário testar positivo para Covid em Pouso Alegre https://pousoalegre.net/noticia/2...
22/06/2021
Então:👇🏼 A jornada é sua, e é única, e com certeza há perigos no caminho. Se fosse tudo previsível, talvez não tivesse graça. O que não signific...
22/06/2021
S.S. Paraíso | Guarda Municipal evita feminicídio no Terminal Rodoviário MINAS GERAIS A ação rápida de Guardas Municipais que estavam a serviço no...
22/06/2021
500 mil mortos por proibirem a cura pelo “tratamento precoce”! 500 mil mortos por proibirem genéricos como Cloroquina e Ivermectina! 500 mil mortos pelo ...
+ NOTÍCIAS
ENTRETENIMENTOS  
 
Facebook
 
Twitter
 
G1
 
Portal Terra
 
Inter Ney
 
Dicas L
 
Gmail
 
Yahoo
 
Hotmail
 
Charges
 
Humor Tadela
 
Caixa
 
Correios
 
Google
 
Humor Babaca
 
Blog do Madeira
 
Uol
 
Ponto Frio
 
Globo Esporte
 
Skype
 
Kboing
 
Baixa Ki
 
Ricardo Eletro
 
Mercado Livre
 
Net Shoes
 
Extra
 
Portal R7
 
Jogos Menina
 
Buraco
 
VTO
 
Savetone
 
Paraiso
 
DestinoShow
 
Big Farm
 
One Piece
 
Dafiti
 
Passagens
 
Jogos Barbie
 
Jogos Mário
 
337 Jogos
 
Banco Brasil
 
Jogos Zumbis
 
Empire
 
OGame
 
Desert
 
1 vs 100
 
Ikariam
 
WarGame
 
FOE
 
Youtube
 
waiBrasil Publicidade
 
Par Perfeito
 
Linkedin
 
Jia
 
Ponto Frio
 
Americanas
 
Lojas Edmil
 
Casas Bahia
 
Magazine Luiza
 
Mattos Calçados
 
Casa joka
 
A Mineira
 
Casa América
 
 
 
Publicidade
 
Nossos Contatos
(35) 99956-1464 - VIVO
(35) 98818-3391 - OI
redacao@jornalinformeeacao.com.br
jornalistaellianna@jornalinformeeacao.com.br
contato@jornalinformeeacao.com.br
eliana.teixeira@gmail.com
2021 ® Marca Registrada para Agência de Comunicação E. M. Teixeira Ltda. Todos os direitos reservados.